sábado, 19 de abril de 2014

O caminho é longo e difícil.

Postado por Mah Menezes às 15:09
Não digo que seja longo e difícil para aquelas que engravidam por engravidar e tanto faz se essa gravidez vingar ou não, digo que é longo e difícil pra gente como eu que planejou, que muito quis, que esperou tanto e que claro, já perdeu um uma vez.
Pra gente como eu os dias passam se arrastando e a gravidez é uma constante preocupação, um constante nervoso cheio de dúvidas e medos.

Como eu disse, já perdi um uma vez, na época, absorvi isso com naturalidade, digamos que não sofri horrores, quase não chorei, exceto qndo precisei esvaziar o roupeiro do nenem que já estava cheio de coisinhas, neste momento senti como que alguém tivesse morrido, ensacolei tudo e guardei lá no fundo do armário, por isso eu digo que a gravidez atual não durou só 9 meses e sim mais de 2 anos pois faz esse tempo todo que eu planejo, que eu dobro e guardo roupinhas, que eu imagino um bebê dentro delas, que eu moldo a minha vida a esse ser que está pra chegar.

Resolvemos tentar engravidar de novo, lá fui eu procurar a ginecologista, mil exames disso, exames daquilo, toma vitamina disso, daquilo e começou o longo caminho do qual eu falo!
Então... quando desta vez descobri a gravidez, além da alegria que senti veio junto com ela o medo: -Será que dessa vez vamos conseguir? Vou enumerar pra mostrar de forma clara todos os 'perrengues' que passei nessa longa jornada.

1- O atraso: Pra começar, esperar atrasar a menstruação é um teste psicológico para qualquer mulher que quer muito engravidar, apesar de eu querer sim e muito, nunca fiquei neurótica e acho que isso me ajudou a engravidar na segunda ou terceira relação que tivemos após o término do ciclo menstrual. Foi rápido!
Fiz o teste de farmácia 8 dias antes de um possível atraso menstrual, veja bem, 8 dias é muita coisa! Mas eu já sabia! O que denunciou a gravidez foram meus seios super doloridos e o aparecimento dakelas tais bolinhas que ficam em volta do bico do seio, eram visíveis e super aparentes, ali eu pensei:-Estou grávida!
Dito e feito, após dois exames de farmácia apareceram duas linhas, uma bem fraquinha e uma bem forte, nos dois o resultado foi o mesmo, positivo!

2- A confirmação: Lá fui eu fazer o exame de sangue para confirmar o teste de farmácia, mais uma vez ressalto, 8 dias antes de um possível atraso menstrual, ou seja, se eu estava grávida era bem no comecinho e o resultado poderia dar duvidoso, e deu!! O resultado deveria sair no mesmo dia as 17hs, por ter dado indeciso liberaram o resultado apenas 4 dias depois! Fiz numa quinta e só consegui ver na segunda. Essa é uma boa forma de tortura! Mas estava lá resultado 45, super baixinho, indicando uma gravidez bem no comecinho mesmo! 3 semanas.

3- Primeiras Dores Físicas: Logo em seguida comecei a sentir dores terríveis dentro da nádega direita, dores na lombar muito fortes, precisei ficar em repouso por 7 dias, pois estava muito no comecinho da gravidez e por a médica conhecer meu histórico, me deixou chocar o Gabriel em casa com tranquilidade até que completássemos 4 semanas de gravidez. PS: essas dores me acompanham até hoje!!

4- Será que existe um bebê? Será que estou mesmo grávida de uma gravidez uterina, no lugarzinho certo? Será que o bebê se formou? Mais tortura! Para quem já perdeu um, foi horrível ficar na sala de espera aguardando a primeira ecografia que seria decisiva e me diria se eu seria mãe ou não. Mal estar de nervoso assim só senti na apresentação do meu TCC e mesmo assim foi muito mais leve. Lá fomos nós, chamados a entrar na sala. "-Temos uma vesícula vitelina e ali naqueles pontinhos provavelmente está se formando um bebê."
Provavelmente? Tu quer me matar do coração Dra!? Saímos de lá contentes mas apreensivos, sempre apreensivos. Deveríamos então aguardar a próxima ecografia que nos diria então se algo se formou.

5- Será que se formou um bebê? A ecografia seguinte foi com 7 semanas de gestação, logo que iniciamos o exame vimos uma 'larvinha', lá estava ele! Um bebê! Finalmente não sou mais uma mãe de um bebê imaginário! E o coraçãozinho batia a todo vapor, que felicidade! Estou mesmo grávida! 

6- Hematoma: Nesta ecografia acusou o tal Hematoma Subcoriônico, que necessitou 30 dias de cuidados, medicação e muito repouso. Esse hematoma é como um "rasgo" na bolinha onde mora o bebê, se esse rasgo aumentasse o bebê poderia passar por ele, como um ralo, causando a sua perda. Após os 30 dias de cuidados, o hematoma regrediu e ficou tudo bem! Mas o duro caminho está longe de terminar...

Ouvi de todo mundo que estou no comecinho da gravidez, que as perdas são normais e comuns, que eu não deveria então ficar tãããão feliz, que eu deveria esperar passar os 3 meses pra sair contando e pulando de alegria. Não foi fácil mas ignorei completamente! Eu estou grávida, eu tenho fé, me deixem ser feliz!

7- Translucência Nucal: 13 semanas de gestação: Esse exame mostra qualquer anormalidade do feto, principalmente se ele terá alguma síndrome. Imagina o coração de uma mãe indo fazer este exame!? Quantos bebezinhos são diagnosticados de sérias síndromes já dentro da barriga e a mãe sabe que nascendo ele não sobreviverá, fora mtas outras coisas que este exame mostra, então mais uma vez foi horrível ficar ali esperando pra saber se meu filho era saudável. Graças a meu bom Deus os resultados foram os melhores! Gabriel é um bebê perfeito! Vimos ele em formato de bebê, não era mais uma larvinha. Saí do consultório chorando de felicidade, agradecendo a Deus, obrigada Senhor por meu filho ter saúde! Pedi a Ele tbm que dê forças a todas as mães que não tiveram tão boas notícias como eu tive.
Ok, felicidade plena mas calma, são apenas 3 meses de gravidez e o risco de perda ainda é grande.

8- 18 semanas: Menino ou Menina? Mais do que saber o sexo do neném, queríamos saber se estava tudo bem, se ele cresceu, engordou, se tá tudo se formando direitinho. Descobrimos que o rapazinho Gabriel estava a caminho, aliás, sempre soubemos que seria um menino!

As dores físicas só aumentaram, o peso da barriga começa a incomodar, não tive mais uma noite inteira de sono, preciso levantar no mínimo 6x a noite para fazer xixi.

9 - Prematuro: Depois do 5º mês, apesar de estar tudo bem com o bebê, escutei muito a frase: "Não pode nascer antes, ainda é muito prematuro!" Então esse medo passou a andar comigo o tempo todo.
Lembro que entrei em férias e viajei para SC, na primeira noite não dormi de medo de que algo acontecesse, pesquisei hospitais e emergências ali por perto mas nada, só havia 1 hospital em uma praia vizinha. Eu ficava pensando: -Meu Deus do céu e se alguma coisa acontecer o que eu vou fazer? 
Depois da segunda noite comecei a relaxar um pouco e aproveitar pra curtir o relax da praia, do mar e do descanso merecido, pq sim, essas torturas psicológicas cansam tanto quanto um esforço físico.

10- Água perna abaixo: Em uma noite comum, senti minha calcinha e minha calça molharem muito, e agora!?? Tinha cheiro de amônia! Pelo que havia lido poderia ser líquido amniótico e isso significava que a bolsa estava rompida. Fomos correndo para o hospital e após todos os exames, por incrível que possa parecer era apenas xixi!!! Que susto!

Fora o medo de não conseguir amamentar, de não saber como pegar um recém nascido no colo, fora as noites em claro que fico repassando em pensamento o passo a passo de um banho bem dado e de uma troca de fralda. Posso não saber a prática mas a teoria é comigo mesmo rsrsrs

E os mil exames que precisei fazer inúmeras vezes? As mil picadas de vacinas e acupuntura?

11- 9 Meses: Agora o medo é até de fazer força para subir uma escada ou até mesmo me virar na cama, medo da bolsa estourar antes do tempo, quero que ele possa ficar mais um tempinho ainda na barriga, se fortalecendo para que possa nascer e vir embora conosco, não seja necessário ficar no hospital.

E os medos de ter um nenem em casa? Esses eu volto pra contar daqui alguns dias rsrsrs
Vem Gabi!!

bjs, mami!







0 comentários:

Postar um comentário