quinta-feira, 24 de abril de 2014

Para as visitas do Gabi...

Postado por Mah Menezes às 19:50

Acredito que pequenas atitudes respeitosas são super bem-vindas, não só para uma visita a um recém-nascido, mas em todas as situações em que se faz necessária a convivência social. Separamos algumas sugestões de bom relacionamento que pra nós são as mais importantes: 
A pediatra Vera Lúcia Krebs, do Hospital das Clínicas de São Paulo, adverte: “recém-nascido não é atração turística”.
  1. Tire fotos a vontade!
  2. Não poste as fotos do Gabi nas redes sociais. Permita que nós possamos apresentar nosso filho a nossos amigos.
  3. Higienize suas mãos. Bebezinhos são muito sensíveis e não tem imunidade, por isso mamãe Marcelle fez com todo carinho do mundo, sabonete líquido e gel antisséptico personalizados para essa finalidade.
  4. Não coloque o Gabi no colo de outra criança. Entenda com carinho nossa insegurança nesse sentido.
  5. Evite tumultos e falar alto. Aquela história de que bebês precisam se acostumar com o barulho é muito relativo, se nós (Marcelo e Marcelle) odiamos tumulto, pq o Gabi deveria gostar? Além do mais, depois quem precisa ficar nanando e o fazendo dormir somos nós. rsrsrsrs
  6. Damos preferência para visitas no hospital. Quando formos pra casa, teremos um milhão de coisas novas para nos adaptarmos, descobrirmos e aprendermos, gostaríamos de ficar 'lambendo' o filhote e nos curtindo nesses primeiros momentos.
  7. Certamente vamos errar mas tbm vamos aprender, repreender só irá nos deixar mais nervosos ainda, ajudar sim, julgar não. Então se colocarmos a fralda ao contrário, não banque o sabe-tudo, não julgue, apenas ria e ensine.
Em todas as alternativas acima, prevalece sempre o velho e bom senso! Sabemos que as pessoas queridas estarão ao nosso lado neste momento e saberão nos respeitar.

Que venha dia 13!

_________________________________

Abaixo segue um texto bem legal, informações dadas por uma pediatra.
A visita exige algumas regras de etiqueta. Veja as orientações da especialista para amigos próximos, aqueles mais distantes, parentes e até para os novos avós.
1. Evite apertões 
Muitas pessoas exageram no ‘carinho’ e acabam dando pequenos apertões na bochecha, beijos e toques não muito delicados nas mãozinhas das crianças. O que elas não sabem é que essas atitudes são inadequadas, pois podem trazer problemas ao recém nascido, como incômodo e até fraturas.

2. Faça uma visita curta 
A primeira visita na maternidade deve ser limitada aos parentes próximos, como o pai, avós e irmãos, pois é um momento de recuperação da mãe e maior atenção à vida do bebê. Antes de aparecer, ligue e combine o horário. É elegante não ficar muito tempo.

3. Lave as mãos apropriadamente 
Não se esqueça dos cuidados básicos de higiene. Lavar bem as mãos e os braços (até a altura dos cotovelos) antes de chegar perto da mãe e do bebê é imprescindível para minimizar a contaminação por vírus e bactérias. 

4. Se estiver doente, não vá 

Se estiver com resfriado, gripe, conjuntivite ou qualquer outra doença infectocontagiosa, suspenda a visita. A ideia de que “eu não vou chegar perto, nem segurar a criança” não basta. Como o sistema de defesa do organismo da mãe e do bebê estão fragilizados, não é adequado arriscar.

5. Desligue o celular 
No momento da visita, a pediatra do HC orienta amigos e familiares a desligar os celulares. A coordenadora da UTI do Hospital e Maternidade Santa Joana, de São Paulo, Filomena Mello, acrescenta que o barulho dos telefones móveis são como “britadeiras” para as crianças e causam estresse nos pequenos.

6. Não use flash 
Cautela também com as câmeras fotográficas e filmadoras. “A luz do flash pode causar desconforto para a criança ou despertá-la, caso esteja dormindo”, diz Vera Lúcia. E só quem é mãe de recém-nascido sabe o trabalho que pode dar fazer o filho dormir.

7. Evite aglomerações 
“As visitas devem ser organizadas para não formar uma aglomeração em volta do bebê. Esse tipo de ocasião favorece contágios e excesso de barulho, e isso pode causar estresse ao recém nascido”, acrescenta a especialista do Hospital das Clínicas.

8. Não fume – nem mesmo antes da visita 
Nem pense em fumar. E a restrição vale para horas antes da visita. Segundo o pneumologista Joaquim Rodrigues, as substâncias do cigarro ficam impregnadas em roupas e mãos dos fumantes. Os resíduos que permanecem são tão prejudiciais quanto a própria fumaça. O contato do bebê com o material tóxico o expõe a uma probabilidade dez vezes maior de adquirir uma pneumonia aguda e ao aparecimento de um fenômeno chamado de hiperresponsividade brônquica – uma resposta exagerada do pulmão desencadeada quando a criança tem uma maior sensibilidade a infecções respiratórias – 

0 comentários:

Postar um comentário